Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Ministro japonês não comenta possível intervenção cambial

O vice-ministro das Finanças do Japão para Assuntos Internacionais, Hitoshi Watanabe, disse que o Ministério continuará a agir no mercado de moedas de acordo com a política dos países do G-7, mas evitou comentar se o governo irá ou não intervir no câmbio. "A política japonesa em relação ao câmbio não mudou", disse Watanabe em entrevista em Tóquio. "Temos nos comportado de acordo com a linguagem do comunicado do G-7 e continuaremos a fazê-lo", acrescentou. "Não comentarei se iremos ou não intervir no mercado. Teoricamente, é sempre possível, mas trata-se de uma questão diferente se será feito ou não", disse Watanabe.O iene vem se fortalecendo desde a última reunião do G-7, ocorrida no começo de maio, por conta dos comentários feitos pelo grupo sobre a política de sustentação de sua moeda pela China, os quais foram considerados fortes.Às 7h48 (de Brasília), o dólar subia para 111,12 ienes, de 110,60 ienes no fechamento de ontem. O euro caía para US$ 1,2720, de US$ 1,2782 ontem. A moeda recupera-se na esteira da ausência de sinal mais enfático de que o Fed suspenderá o processo de elevação gradual das taxas de juro, o qual já dura quase dois anos. O dólar é sustentado também pelo fato de o relatório de ontem do Tesouro dos EUA não qualificar a China como manipuladora de mercado.

Agencia Estado,

11 de maio de 2006 | 08h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.