Ministro japonês visita usina de etanol em São Paulo

O ministro de Meio Ambiente do Japão, Sakihito Ozawa, visitou hoje, em companhia de executivos da Petrobras Biocombustível e da Guarani, a Usina Vertente, localizada em Guaraci (SP). De acordo com nota à imprensa da Petrobras, a comitiva participou de uma reunião com o diretor de Etanol da Petrobras Biocombustível, Ricardo Castello Branco, e com o diretor presidente da Guarani, Jacyr Costa. Em seguida, a comitiva visitou as instalações da usina Vertente, que tem foco no etanol, e apresenta elevados padrões de produção industrial e alto porcentual de mecanização da colheita.

EQUIPE AE, Agencia Estado

18 de julho de 2010 | 18h43

Segundo a Petrobras, Ozawa está liderando a questão da redução da emissão de gases de efeito estufa no Japão e veio ao Brasil conhecer as práticas sustentáveis de produção de etanol. O Japão espera até 2020 reduzir 25% de emissão de CO2, com base nos níveis de 1990. "O governo japonês tem a intenção de promover o uso do etanol. Temos o projeto E3 e pretendemos ampliar para E10, ou seja, de 3% para 10% de etanol adicionado ao combustível", informou.

O diretor de Etanol, Ricardo Castello Branco, destacou as práticas sustentáveis da produção de etanol da unidade, em Guaraci, como fatores fundamentais para viabilizar a abertura de novos mercados e ampliar o uso desse combustível verde. O diretor-presidente da Guarani, Jacyr Costa, afirmou que "o etanol é um combustível extremamente competitivo tanto no mercado interno quanto no externo".

A Petrobras Biocombustível tem hoje participação em capacidade de moagem superior a 24 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano, com capacidade para produzir mais de 900 milhões de litros de etanol por ano. Além da Guarani, com unidades em São Paulo e Moçambique, tem parcerias com o Grupo São Martinho, em Goiás, e a Total Agroindústria Canavieira, em Minas Gerais.

A usina Vertente é uma parceria da Guarani com o Grupo Humus desde fevereiro deste ano. O principal negócio da empresa é o processamento de cana-de-açúcar para produzir etanol, energia e açúcar. É a terceira maior processadora de cana-de-açúcar com capacidade de moagem estimada em 21,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2010/11. A Guarani possui oito unidades industriais, das quais sete estão localizadas no Brasil, na região noroeste do Estado de São Paulo e uma em Moçambique.

Tudo o que sabemos sobre:
etanolusinavisitaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.