Ministro pede ao Congresso para não alterar reajuste de aposentados

O ministro da Previdência Social, Nelson Machado, afirmou nesta segunda-feira que "todo mundo sabia que o governo precisaria vetar" o reajuste de 16,67%, acrescentado pelo Senado na medida provisória que reajustou o valor do salário mínimo de R$ 300 para R$ 350. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetou esse artigo, mantendo o reajuste do mínimo.Machado fez um apelo para que o Congresso Nacional aprove, sem alterações, a medida provisória que fixa aumento de 5% para os aposentados e pensionistas, que ainda está em análise no Legislativo. "Esperamos que o Congresso permita que o governo cumpra esse acordo", disse o ministro.Segundo Machado, que participou na tarde desta segunda de uma nova reunião entre governo e representantes de empregados e empregadores domésticos, o aumento de 16,67% custaria R$ 7 bilhões a mais aos cofres públicos somente neste ano. "Além disso, contraria um acordo fechado entre o governo federal e os representantes dos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.