Ministro prevê 1,8 milhão de empregos formais este ano

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho registrou a contratação de 207,9 mil pessoas com carteira assinada em junho deste ano, uma alta de 0,86% em relação ao mês anterior. Segundo o ministro da Trabalho, Ricardo Berzoini, de janeiro a junho foram criados 1,03 milhão de empregos. A expansão mensal e a semestral são recordes da série histórica do Caged, iniciada em 1992. O ministro revisou a previsão para a criação de empregos formais de 1,3 milhão para 1,8 milhão este anoSegundo ele, "o processo de recuperação do emprego foi puxado pelo agronegócio e pelas exportações, mas houve uma mudança de comportamento já no setor de varejo, no consumo de não-duráveis e semiduráveis, ou seja, os produtos mais suscetíveis à renda do trabalhador". Berzoini não acredita que a melhora da economia poderá levar mais pessoas a procurarem trabalho e, com isso, aumentar o índice de desemprego. Para ele, além de ser capaz de conter a alta da população economicamente ativa, a economia poderá reduzir o número de desempregados.Na opinião dele, "o quadro já é de recuperação do mercado de trabalho"."A população economicamente ativa cresceu bastante de janeiro até abril, e, a partir de maio, houve uma convergência entre os dados da geração de emprego com o crescimento da população economicamente ativa", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.