finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ministro prevê forte concorrência no leilão de rodovias

O ministro dos Transportes, César Borges, disse nesta quinta-feira, 12, estar confiante para o leilão dos dois primeiros trechos de rodovias, das BRs 050 (GO/MG) e 262 (ES/MG), marcado para a próxima quarta-feira, 18. De acordo com ele, o País já tem tradição em concessões rodoviárias e por isso acredita em forte concorrência no primeiro dos vários leilões de infraestrutura programados pelo governo da presidente Dilma Rousseff.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

12 de setembro de 2013 | 13h45

Borges afirmou que é impossível prever o quanto de deságio será proposto pelos consórcios, mas citou o último trecho leiloado pelo governo, a BR-101 no Espírito Santo, no início de 2012, como um exemplo desejado. O trecho foi vencido pela EcoRodovias com um deságio de mais de 45%. "Seria muito bom se fosse assim", disse Borges, sobre o leilão de quarta-feira.

Ele relatou que os empresários presentes na Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp) para a reunião se mostraram otimistas com o processo. "O programa de infraestrutura em geral tem o entusiasmo de todos", afirmou. "Os empresários estão vendo que o governo dá prioridade total à infraestrutura." Borges também reafirmou que o próximo trecho de rodovia a ser concedido à iniciativa privada, da BR-101 na Bahia, tem o leilão marcado para outubro.

Empresários

O presidente do Conselho de Infraestrutura da Fiesp, Rodolpho Tourinho, disse que os empresários sugeriram diversos pontos para o ministro a respeito do aperfeiçoamento do processo de concessões, inclusive que o Tesouro seja o garantidor de última instância das receitas aos vencedores dos leilões de ferrovias.

Segundo Tourinho, o setor privado precisa de segurança jurídica. "O papel do Tesouro é esse", afirmou. Para ele e os empresários, a questão do financiamento dos empreendimentos "já está andando".

Tudo o que sabemos sobre:
rodoviasleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.