Ministro prevê superávit na balança agrícola de US$ 23 bi

O Brasil poderá ter um saldo positivo na balança comercial agrícola de US$ 23 bilhões em 2003. A avaliação é do ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, que esteve em Genebra ontem para reuniões com os diplomatas brasileiros na Organização Mundial do Comércio (OMC). "Essa perspectiva é condicionada pelo câmbio e como ele se comportará", disse o ministro. Rodrigues destacou os setores de soja, carnes, café e açúcar como os destaques do ano em termos de exportações. Mas o ministro alerta: para a próxima safra, que deverá ser de 120 milhões de toneladas, o País terá de contar com uma infra-estrutura mais adequeda se quiser ter ainda mais ganhos com a agricultura. Uma das iniciativas de Rodrigues começará a ser debatida nas próximas semanas. O Ministério da Agricultura irá propor ao Ministério da Fazenda a ampliação do número de armazéns alfandegados no interior do País para possibilitar que produtos já vendidos para o exterior sejam estocados até que sejam embarcados para mercados estrangeiros. "O objetivo seria tirar um pouco a pressão sobre os portos, que estão presenciado filas imensas para o carregamento de navios com produtos agrícolas que serão exportados", explicou o ministro. Na avaliação dele, o projeto não exigiria recursos financeiros significativos. "O que precisamos é iniciar um processo burocrático com a Receita Federal e nosso objetivo é ter esses novos armazéns alfandegados até fevereiro de 2004", explicou Rodrigues, que lembra que a segurança desses locais e a inviolabilidade dos estoques precisariam ser garantidos. Para Rodrigues, os locais para a criação desses armazéns deveriam estar nas regiões produtoras de grãos e próximos às redes ferroviárias. "Desta forma, assim que o navio atracasse no porto brasileiro, o produto seria transportado do interior diretamente para o navio, sem precisar esperar no porto", explicou o ministro. Segundo ele, um dos locais poderia ser Ponta Grossa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.