Ministro saudita quer mercados de petróleo estáveis; não vê guerra de preços

A Arábia Saudita quer mercados e preços de petróleo estáveis e avalia que conversas sobre guerra de preços não têm fundamento, afirmou nesta quarta-feira o ministro do Petróleo do país, Ali al-Naimi, durante visita ao México.

REUTERS

12 de novembro de 2014 | 14h35

O ministro disse que a política de preços do país para petróleo tem sido constante nas últimas décadas e não mudou recentemente, e que a Arábia Saudita tem feito o melhor, juntamente com outros produtores, para assegurar uma estabilidade de preços.

"Conversa de guerra de preços é sinal de mal-entendido, deliberado ou não, e não tem fundamento na realidade", afirmou Naimi em evento em Acapulco.

Em seu primeiro comentário público em meses, Naimi não mencionou a posição do reino saudita antes da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), no dia 27, onde produtores vão avaliar se cortam a produção para elevar os preços que caíram cerca de 30 por cento para mínimas próximas de 80 dólares o barril.

Em vez disso, ele reiterou posições conhecidas da Arábia Saudita de que os preços estáveis são bons para consumidores e investidores e ajudam crescimento econômico de longo prazo.

Disse ainda que o mercado, não a Arábia Saudita, estabelece os preços em última instância; e que a fórmula de preços mensais de exportação é estabelecida de acordo com vários fatores de mercado, nada mais do que isso.

(Por David Alire Garcia)

Tudo o que sabemos sobre:
PETROLEOARABIAMINISTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.