Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Ministro volta a admitir possibilidade de racionamento de energia

'Não queremos falta de energia, mas, se houver necessidade, não teremos nenhum problema em adotar a medida', diz Eduardo Braga

Eduardo Rodrigues, O Estado de S. Paulo

09 Fevereiro 2015 | 16h47


BRASÍLIA - O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, disse nesta segunda-feira, 9, que o governo tem buscado alternativas para o abastecimento de eletricidade no País, na chamada "ponta de carga", ou seja, nos picos de consumo. Mas questionado por jornalistas, Braga admitiu que o governo não terá "nenhum problema" em adotar uma medida como a racionalização no uso de energia.

"Não queremos falta de energia, mas, se houver necessidade, não teremos nenhum problema em adotar a medida", disse Braga, ao ser perguntado sobre a possível racionamento.

De acordo com o ministro, o governo tem trabalhado para ter alternativas de abastecimento nas regiões de consumo mais intensivo de eletricidade, como o Sudeste e o Centro-Oeste. Segundo ele, entre essas alternativas está levar mais energia do Norte, Nordeste e Sul para as demais regiões via linhas de transmissão.

Braga repetiu que será realizada na próxima quinta-feira uma reunião (12) para decidir sobre a prorrogação ou não do horário de verão, por mais 30 dias. O horário diferenciado está previsto para acabar em 22 de janeiro. "Estudamos todas as possibilidades", completou.

Mais conteúdo sobre:
energiaEduardo Braga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.