Ministros do G-20 propõem aumento da produção de alimentos

Ministros também pediram maior transparência no mercado de commodities, a fim de conter a volatilidade dos preços dos alimentos e atender a crescente demanda mundial

Agência Estado,

23 de junho de 2011 | 10h16

Os ministros de agricultura do grupo das 20 nações industrializadas e emergentes apresentaram nesta quinta-feira, 23,  uma série de propostas para aumentar a produção de alimentos e pediram maior transparência no mercado de commodities, a fim de conter a volatilidade dos preços dos alimentos e atender a crescente demanda mundial.

As propostas, apresentadas no comunicado do encontro realizado em Paris, incluem a criação de uma base global de dados que irá agregar informações sobre produção de alimentos, consumo e estoques. Este novo sistema de informação visa melhorar a transparência dos mercados de alimentos. O G-20 disse que o sistema servirá para diminuir a flutuação dos preços dos alimentos.

O G-20 decidiu suspender as restrições sobre exportações por razões humanitárias e melhorar a ação coordenada quando catástrofes naturais ou eventos climáticos atingirem as colheitas. O grupo concordou em abrir as reservas de emergência de alimentos localizadas próximo as regiões vulneráveis do mundo, numa tentativa de ajudar a evitar e administrar crises de alimentos.

Os ministros do G-20 também prometeram elevar a produção e a produtividade dos alimentos e promover os investimentos em novas tecnologias e em infraestrutura para isso.

"Reconhecemos a importância de um significante aumento na produção agrícola de alimentos e da produtividade, considerando a diversidade das condições mundiais e a necessidade do uso sustentável dos recursos naturais, a fim de responder ao desafio do crescimento na demanda", disse o comunicado final do G-20.

O ministros da agricultura dos 20 países pediram aumento da regulação nos mercados derivativos de commodities de alimentos, mas não propuseram medidas concretas para atingir tal objetivo.

O G-20 não tomou posição sobre restrições nos investimentos em biocombustíveis, os quais utilizam uma significante parte das terras agrícolas em alguns mercados emergentes. Ao invés disso, o G-20 disse que lançaria um estudo sobre o impacto dos biocombustíveis no meio ambiente e na produção agrícola. As informações são Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
agriculturaG 20alimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.