Minoritários adquirem controle da Vale do Rosário

O grupo de acionistas, até então minoritários, liderado por Cícero Junqueira Franco e por Luiz Biagi, adquiriu o controle da Companhia Açucareira Vale do Rosário, exercendo o direito de preferência em relação à oferta feita pela Cosan aos acionistas que detinham 50,2% da companhia. "Agora, 100% das ações estão nas mãos dos 49,8% de acionistas", disse Franco. "A partir de amanhã (quarta-feira) será feita uma negociação, um a um, para sabermos quem vai sair e quem vai ficar. A partir daí, formaremos o novo quadro acionário", complementou.Eventuais vagas no novo quadro serão preenchidas por outros interessados na companhia. "Nossa prioridade são os acionistas que vão ficar. Depois, vamos integrar ´entrantes´ estratégicos", afirmou Franco. Para a semana que vem, já deverá haver a definição sobre os "ficantes" e os "saintes". Ao longo do mês de março, começam a ser incorporados os "entrantes". A operação de aquisição da Vale do Rosário foi montada pelos bancos ING e Rabobank S/A, com a assessoria jurídica dos escritórios Wald Associados Advogados e Pinheiro Neto Advogados, de São Paulo. O Bradesco deu o aporte financeiro de R$ 1,35 bilhão, em forma de financiamento, para o exercício do direito de preferência. O projeto de fusão com a Companhia Energética Santa Elisa e a possibilidade de abertura de capital da Vale do Rosário continuam em andamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.