Minoritários da Brasil Telecom aprovam acordo com Opportunity

Os acionistas minoritários da Brasil Telecom aprovaram ontem, em assembléia, o acordo que acabou com as disputas legais entre a empresa e o Banco Opportunity. A decisão era um dos pré-requisitos para a compra da operadora pela Oi (antiga Telemar). A aquisição ainda depende da mudança do Plano Geral de Outorgas (PGO), um decreto presidencial que impede uma concessionária de telefonia fixa de comprar outra. O processo para mudança do PGO está em andamento na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).Na quarta-feira, a Oi anunciou ter comprado, por meio de sua controlada Copart 1 Participações, 15,5% das ações sem direito a voto da Brasil Telecom. A companhia tem como objetivo adquirir até um terço dos papéis preferenciais em circulação da Brasil Telecom.O acordo para a compra da Brasil Telecom pela Oi foi anunciado em abril, depois de quatro meses de negociações. A empresa deve pagar R$ 5,9 bilhões pelo controle da operadora e R$ 6,5 bilhões em ofertas públicas a acionistas minoritários. Para viabilizar a venda, o Citigroup e o Opportunity, sócios da Brasil Telecom, também concordaram em encerrar as disputas judiciais que tinham entre si, no Brasil e no exterior.Enquanto não sair a mudança na regulamentação, o banco Credit Suisse atuará como um espécie de intermediário, comprando ações da Brasil Telecom em nome da Oi e repassando o controle da empresa somente depois da modificação.O contrato entre as empresas prevê uma multa bilionária para o caso de uma das partes desistir da operação. Caso isso ocorra, uma parte deverá pagar à outra o equivalente a 30% do valor total da operação. Ou seja, R$ 1,78 bilhão.NÚMEROS15,5%das ações sem direito a voto da Brasil Telecom foram comprado pela OiR$ 5,9 bilhõesé quanto os controladores da Brasil Telecom devem receber da Oi R$ 6,5 bilhõesé quanto deve somar as ofertas públicas da Oi aos minoritários da Brasil Telecom

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.