Minuta mostra que Fed temeu assustar o mercado

As autoridades monetárias do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, ficaram surpresas com a velocidade de recuperação da economia dos EUA no início do ano e consideraram a possibilidade de formalmente declarar suspensão de sua campanha de corte nas taxas de juro no fim de janeiro, mostrou a minuta da reunião de política monetária realizada em 29 e 30 de janeiro. No entanto, preocupados com os eventuais efeitos de tal atitude sobre Wall Street, as autoridades optaram por garantir suas apostas. Na reunião do fim de janeiro, o comitê votou pela manutenção das taxas de juro pela primeira vez em um ano. Mas disseram que mantinham-se prontos para reduzí-la novamente, se necessário. "Na visão de alguns poucos membros, argumentos poderiam ser utilizados para um comunicado de riscos equilibrados (viés neutro), já que podiam prever acontecimentos os quais poderiam fortalecer a economia tomando cálculos atuais", diz a minuta. Mas tais membros concordaram que "uma mudança para perspectiva equilibrada de riscos em conjunção à manunteção da postura da política poderia, nesse momento, ser mal interpretada pelos mercados financeiros, como uma indicação de visão muito mais otimista da perspectiva econômica do que realmente a considerada pelos membros do comitê", diz a minuta. "Tal interpretação poderia cultivar ajustes sem qualidade e contraproducentes nos mercados financeiros". Portanto, decidiram que uma mudança de postura em relação às perspectivas das taxas de juro seria apropriada no futuro. O BC norte-americano o fez nesta terça-feira, quando elevou o viés das taxas de juro para "neutra", de "baixa". As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.