Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Miriam Belchior é exonerada da Caixa e Joaquim de Oliveira assume interinamente

O vice-presidente de Tecnologia da Informação irá acumular as duas funções; ex-ministro Gilberto Occhi é cotado para assumir o cargo

Luci Ribeiro e Murilo Rodrigues Alves, O Estado de S. Paulo

25 de maio de 2016 | 07h36

BRASÍLIA - O presidente em exercício, Michel Temer, e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, exoneraram Miriam Belchior da presidência da Caixa Econômica Federal e nomearam para ocupar o posto, interinamente, o vice-presidente de Tecnologia da Informação do banco, Joaquim Lima de Oliveira. Oliveira irá acumular as duas funções. Os respectivos decretos de exoneração e nomeação estão publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, informou há pouco ao Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, que só anunciará os titulares dos bancos públicos na próxima semana. A reportagem apurou que Meirelles pediu uma radiografia dos bancos públicos ao Banco Central. Ele deve bater o martelo sobre os nomes com o presidente em exercício, Michel Temer, no domingo, provavelmente em São Paulo.

O Broadcast apurou que o nome mais cotado para substituir Miriam na Caixa ainda é o do ex-ministro Gilberto Occhi (ex-ministro da Integração Nacional e Cidades). Mas há resistências no Ministério da Fazenda à indicação dele feita pelo PP. O presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI), no entanto, disse que não há plano B e que o nome de Occhi foi aprovado tanto por Meirelles quanto pelo presidente em exercício, Michel Temer.

No Banco do Brasil, é mais provável que permaneça por um tempo o atual dirigente do banco, Alexandre Abreu, ou que se escolha um funcionário de carreira do banco para assumir o posto. O nome de Gustavo do Vale, presidente da Infraero, chegou a ser ventilado, mas já está praticamente descartado. O atual presidente do Banco do Nordeste, Marcos Holanda, permanecerá no posto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.