Miriam: não houve manobra fiscal no superávit primário

A ministra do planejamento, Miriam Belchior, disse que o governo não considera que houve "manobra fiscal" no fechamento das contas públicas em 2012. Questionada sobre o tema em coletiva de imprensa na reunião anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a ministra afirmou, neste sábado, que o governo apenas corrigiu um "descompasso". "Nós cobrimos diferenças de Estados e municípios", disse.

BIANCA RIBEIRO, ENVIADA ESPECIAL, Agencia Estado

16 de março de 2013 | 15h41

No ano passado, a meta foi alcançada, mas com ajustes contábeis por parte do governo que acabaram gerando fortes críticas do mercado. "O Arno (Augustin, secretário do Tesouro) já falou sobre isso e nós não consideramos que houve manobra fiscal", disse. Ela reiterou ainda que o governo "não gosta" que tal correção de descompasso "seja taxada como manobra". A meta de superávit primário para o setor público neste ano é de R$ 155,9 bilhões, ou o equivalente a 3,1% do PIB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.