Miro afirma que reajuste foi rendição da Anatel

O ministro das Comunicações, Miro Teixeira, voltou a atacar a Anatel por causa dos reajustes de até 41% autorizados ontem às empresas de telefonia. Segundo ele, "não houve negociação, mas rendição" da agência reguladora. Teixeira afirmou que as negociações com as empresas para o parcelamento do reajuste foram iniciadas em seu gabinete e, há duas semanas, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, participou de reunião com as empresas, na qual teria afirmado que a divisão do reajuste em duas parcelas seria razoável, desde que a primeira não ultrapassasse 17%. Segundo Teixeira, Palloci lembrou aos empresários presentes à reunião que eles "poderiam se levantar da mesa de negociação a qualquer momento". A partir desta reunião, segundo Teixeira, as negociações teriam sido transferidas para a Anatel. DesconfortoQuestionado sobre se a polêmica em torno do reajuste da telefonia tornou sua posição desconfortável no governo, o ministro das Comunicações afirmou: "Não estou desconfortável, porque o presidente Lula é contra este aumento, que ele desautorizou que fosse anunciado como acordo".Leia também: » Impacto de reajuste deve ser menor que 1%, diz Meirelles » Genoíno nega constrangimento com reajuste de telefones » BrT e Telemar publicam novas tabelas de preços » Presidente da Anatel diz que não afrontou Lula » Governo respeitará os contratos com as teles, diz Palocci » Lula pede a Anatel que só conceda reajuste após negociação » Telefônica antecipa à Agência Estado que aumento será de 28,7%, de uma só vez,

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.