Missão americana já está no MS para investigar aftosa

Uma missão técnica dos Estados Unidos chegou nesta segunda-feira em Mato Grosso do Sul, onde verificará as condições de produção da carne bovina no Estado. Além de analisar todo o trabalho de combate à febre aftosa, realizado durante os últimos 11 meses no Estado, a missão fará visitas às fazendas Vezozzo e Jandaia, em Eldorado, no extremo sul, onde foram identificados os primeiros dos 17 focos da doença na região, de outubro de 2005 até março deste ano. Entre os americanos, estão o cientista agrícola Ricardo Romero e a médica-veterinária Sílvia Kreindl, cuja missão é verificar as ações desenvolvidas pelas autoridades sanitárias estaduais e federais. Com base nas informações, será feito um estudo sobre a possibilidade de importar o produto do MS.Para o secretário estadual de Produção, João Cavalléro os resultados da inspeção norte-americana podem demorar alguns meses. Ele acredita que o Estado não vai recuperar em outubro deste ano o status perdido com a descoberta de focos da doença bovinos nas propriedades localizadas em Japorã, Eldorado e Mundo Novo. "No próximo ano concluiremos o trabalho nesse sentido", disse.Ele lembrou que surgiram dúvidas quanto aos resultados da última análise sobre os rebanhos de algumas fazendas do extremo sul. "Este ano, dificilmente estará pronta a nova sorologia que será feita em animais da região afetada". O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, Ademar Silva Júnior, disse que os pecuaristas já esperaram muito. "Se o motivo da demora for o produtor rural, então as autoridades nos apontem os culpados e vamos punir os responsáveis".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.