Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Missão do BNDES é fomentar investimentos, defende economista

"O novo presidente (do BNDES, Guido Mantega) não poderia ter um melhor começo. A frase dele de que o BNDES não é um hospital já mostra uma mudança de mentalidade muito importante com relação à diretoria anterior", afirmou Maurício Levy, diretor da Fama Investimentos, em entrevista ontem ao programa Conta Corrente, da "Globo News". Levy concorda com Mantega de que a principal missão do BNDES não é resgatar empresas mal geridas, mas sim fomentar investimentos. "Eu acho que é importante direcionar esses recursos principalmente para infra-estrutura e projetos de expansão de empresas nos setores onde o Brasil é competitivo."Sobre possíveis conseqüências negativas do resultado da pesquisa sobre a confiança do consumidor brasileiro, que apresentou queda pelo segundo mês seguido, Levy comentou: "Eu diria que ainda é um pouco cedo para afirmar que a pesquisa está influenciando a decisão de investimentos do empresariado." O economista considera natural a reação um tanto apática do empresariado, diante da divulgação do crescimento do PIB para este ano. "Ao se olhar para o PIB, está se olhando pelo retrovisor, ou seja para aquilo que ficou para trás", analisou Levy. Ele entende que o empresariado tem de ficar atento ao que vai acontecer daqui para frente com a taxa de juros, com o câmbio e com o dólar. "São as condições futuras que têm que ser avaliadas, principalmente quando se decide por investimento."A perspectiva de crescimento para o ano que vem, na opinião do diretor da Fama Investimentos, está muito relacionada ao que vai ocorrer com o câmbio no exterior, mais especificamente com o dólar em relação ao euro. "Este movimento que a gente está vendo hoje aqui do real é muito mais uma desvalorização mundial do dólar em relação a várias moedas do que especificamente um fortalecimento do real", assegurou Maurício Levy. "É precisa ver, na hora de um ajuste, o que aconteceria com o real frente ao dólar em relação a outras moedas."

Agencia Estado,

03 de dezembro de 2004 | 04h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.