Missão vai aos EUA fechar detalhes do acordo

O governo brasileiro deve enviar na próxima semana uma equipe técnica aos Estados Unidos para fechar os últimos detalhes do novo acordo do Brasil com o Fundo Monetário Internacional (FMI). A missão será chefiada pelo secretário do Tesouro Nacional, Joaquim Levy, principal negociador brasileiro. Segundo informações obtidas pela Agência Estado, a equipe técnica deve seguir para Washington assim que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, apresente ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva os detalhes do novo entendimento do governo brasileiro com o Fundo. O presidente deve voltar de sua viagem à África neste sábado. A expectativa dentro do Ministério da Fazenda é de que o acordo esteja fechado até o próximo dia 14. Com isso, a diretoria do Fundo teria cerca de duas semanas para fazer uma avaliação da proposta brasileira. A aprovação do acordo deve acontecer no início de dezembro, quando o board do Fundo fará sua última reunião de 2003. Tesouro dos EUA manifesta apoioO Departamento do Tesouro dos Estados Unidos manifestou ontem à noite seu apoio ao acordo entre o governo brasileiro e o Fundo Monetário Internacional (FMI), no valor de US$ 14 bilhões. "Os Estados Unidos esperam apoiar essa proposta quando ela for revisada pelo Conselho Executivo do FMI", disse o Tesouro norte-americano em nota oficial. "O Brasil fez um notável progresso na restauração da estabilidade macroeconômica e na redução das vulnerabilidades. A sua performance no seu programa do FMI tem sido exemplar." Segundo o governo norte-americano, a decisão do Brasil de negociar uma extensão por precaução de seu atual programa com o FMI "é um passo prudente e vai apoiar as reformas macroeconômicas e pró-crescimento do País".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.