Míssil da Coréia do Norte derruba bolsas

O lançamento de um míssil pela Coréia do Norte e a queda da confiança do consumidor norte-americano afetaram o mercado financeiro em todo o mundo. O míssil foi disparado enquanto o secretário norte-americano de Estado, Collin Powell, chegava a Seul para a cerimônia de posse do novo presidente sul-coreano Roh Moo-hyun O incidente fez as Bolsas reagirem negativamente na Ásia: queda de 2,3% em Tóquio, perda de 3,4% em Taiwan e recuo de 3,9% em Seul. No Brasil, o Ibovespa fechou em queda de 0,60%.Nos Estados Unidos, a confiança dos consumidores em relação à economia despencou em fevereiro, ao menor nível em quase 10 anos. A divulgação do indicador pegou o mercado europeu aberto e a bolsa de Londres fechou em queda de 2,17%, Paris caiu 3,67% e Frankfurt, menos 3,34%. Em Wall Street, o mercado só melhorou no final e o índice Dow Jones conseguiu terminar o dia em alta de 0,65% e a Nasdaq, mais 0,50%.No câmbio, o dólar comercial ignorou a alta dos C-Bonds (títulos da dívida externa) e fechou em alta de 0,53%, a R$ 3,605. No mercado de juros, a volta dos leilões de Letras do Tesouro Nacional (LTNs) foi melhor do que se esperava, a ponto de garantir um comportamento diferenciado em relação a todos os outros segmentos. Os DIs fecharam o dia em queda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.