Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Moçambique e Brasil assinam acordo de telecomunicações

O diretor do Instituto Nacional de Comunicações de Moçambique (INCM), João Jorge, e o vice- presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Antônio Valente, assinaram hoje em Maputo um memorando de entendimento para o setor. Segundo Valente, a Anatel vai apoiar a reciclagem e a formação de especialistas moçambicanos em telecomunicações, bem como assistir o INCM na formulação das suas políticas de licenciamento e regulamentação do setor em Moçambique. O vice-presidente da Anatel disse que a sua instituição espera acolher da parte moçambicana experiências do processo de reforma e reestruturação do sistema de telecomunicações de Moçambique, uma vez que este setor está num profundo processo de mudanças internas. Valente ressaltou que o interesse do Brasil em cooperar com Moçambique decorre também do fato de os dois países terem muitas similaridades, com destaque para a extensão geográfica, densidade populacional e condições climáticas. ?Mesmo tendo atingido um notável nível de desenvolvimento no ramo das telecomunicações, o Brasil interessa-se pelas experiências que Moçambique tem certamente para oferecer, dado que os dois países têm muitos aspectos em comum?, salientou. Já o diretor do INCM disse que ?o acordo é assinado numa boa hora para Moçambique?, pois o país está empenhado na reforma do setor das telecomunicações, destacando a recente concessão de mais uma licença a um segundo operador da telefonia móvel e a reestruturação da empresa Telecomunicações de Moçambique (TDM), a única companhia que opera na telefonia fixa no país. ?É um acordo que acontece em momento oportuno para Moçambique, pois o país está empenhado num vasto processo de reformas do seu setor de telecomunicações?, salientou João Jorge. O diretor do Instituto Nacional de Comunicações de Moçambique afirmou que o seu país pretende aproveitar a vasta experiência do Brasil em relação ao envolvimento do setor privado e na regulamentação das telecomunicações, uma vez que ?introduziu transformações bem sucedidas no ramo?. O embaixador do Brasil em Maputo, Pedro Mendonça, que testemunhou a assinatura do memorando de entendimento, afirmou que o ato demonstra a crescente cooperação entre os dois países, em particular, e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em geral. ?O crescimento da cooperação entre os dois países tem ganho destaque nos últimos anos e a ampliação das nossas relações é testemunho disso?, sublinhou Mendonça. O diplomata brasileiro destacou que o acordo complementa as boas relações que os dois países mantêm há já bastante tempo, sendo também um bom indicativo de que ambos podem ampliar a sua cooperação a outras áreas.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2002 | 03h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.