Moda BBB: Bom Retiro, bonito e barato

Para fugir dos altos preços dos produtos vendidos em shopping centers, muitos consumidores estão dispostos a abrir mão da comodidade e da relativa segurança destes estabelecimentos para encontrar alternativas de compra no comércio de rua. Conhecida pelos preços mais baixos, a região do Bom Retiro recebe toda semana centenas de visitantes, que só vão para casa depois de encher as sacolas.Tradicional pólo de confecções de São Paulo, o Bom Retiro tem cerca de 2000 lojas, das quais mais de 1000 são confecções femininas. A grande atração é o fato de oferecer modelos de roupas parecidos com os das grifes da moda a preços que chegam à metade dos praticados nos shoppings. A fórmula é adaptar ou copiar criações internacionais aos padrões brasileiros.Ao trocar pela primeira vez os corredores dos shoppings pelas ruas do Bom Retiro, o consumidor deve preparar-se para algumas situações novas. Como boa parte das lojas são pontos de venda das próprias confecções, as vendas no atacado ainda são muito valorizadas. Por isso, é muito difícil encontrar atendimento personalizado. O consumidor precisa fazer tudo sozinho, procurando ele mesmo opções de compra.Prova disso é que a maioria das lojas do Bom Retiro não tem provador, o que dificulta a escolha das roupas e aumenta o risco de ter que voltar para trocar peças que acabarem não servindo. Outro problema é a restrição para as trocas de mercadorias, que não podem ser realizadas aos sábados e são restritas aos tamanhos. Dificilmente consegue-se trocar a cor e, muito menos, o modelo. Algumas lojas do Bom Retiro ainda vendem apenas no atacado ou com quantidade mínima de peças. Por isso, é bom visitar a região acompanhado para poder dividir as peças da compra mínima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.