Moda: economize, mas só no preço

Para fugir dos altos preços dos produtos vendidos em shopping centers, muitos consumidores estão dispostos a abrir mão da comodidade e da relativa segurança destes estabelecimentos para encontrar alternativas de compra no comércio de rua. Conhecida pelos preços mais baixos, a região do Bom Retiro recebe toda semana centenas de visitantes, que só vão para casa depois de encher as sacolas.Tradicional pólo de confecções de São Paulo, o Bom Retiro tem cerca de 2000 lojas, das quais mais de 1000 são confecções femininas. A grande atração é o fato de oferecer modelos de roupas parecidos com os das grifes da moda a preços que chegam à metade dos praticados nos shoppings. Adaptando ou copiando criações internacionais, as confecções do bairro paulistano chegam até a promover eventos de moda, como o Bom Retiro Fashion, inspirado no Morumbi Fashion - evento que reúne as mais importantes grifes nacionais. Ruas do Bom RetiroAo trocar pela primeira vez os corredores dos shoppings pelas ruas do Bom Retiro, o consumidor deve preparar-se para algumas situações novas. Como boa parte das lojas são pontos de venda das próprias confecções, as vendas no atacado ainda são muito valorizadas. Por isso, é muito difícil encontrar atendimento personalizado. O consumidor precisa fazer tudo sozinho, procurando ele mesmo opções de compra.Prova disso é que a maioria das lojas do Bom Retiro não tem provador, o que dificulta a escolha das roupas e aumenta o risco de ter que voltar para trocar peças que acabarem não servindo. Outro problema é a restrição para as trocas de mercadorias, que não podem ser realizadas aos sábados e são restritas aos tamanhos. Dificilmente consegue-se trocar a cor e, muito menos, o modelo. Algumas lojas do Bom Retiro ainda vendem apenas no atacado ou com quantidade mínima de peças, que é estipulada geralmente em seis produtos. Por isso, é bom visitar a região acompanhado para poder dividir as peças da compra mínima. Durante o sábado só há vendas a varejo, mas, por enquanto, nem metade das lojas abrem nesse dia. Os preços são um pouco maiores do que nos dias úteis, mas ainda assim bem atraentes em relação àqueles praticados nos shoppings ou em bairros "nobres".Veja matéria a seguir que inclui os sites das ruas de comércio mais baratas de São Paulo na Internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.