Modelo de TV digital será anunciado em janeiro, diz Costa

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, deverá anunciar na primeira semana de janeiro o modelo de TV digital que será adotado pelo Brasil. "Nós temos que andar rápido para não ficarmos atrasados no processo", salientou o ministro em entrevista ao programa "Roda Viva", da TV Cultura. Ele disse que a decisão tem que ser anunciada depressa para que a indústria brasileira possa atender às necessidades do mercado e ressalvou que o País, na verdade, não está produzindo um padrão brasileiro digital."Pode eventualmente até ter, lá na frente, um padrão brasileiro, mas neste momento nós estamos colocando as ferramentas de uma televisão digital em um sistema brasileiro de TV digital." De acordo com o ministro, a decisão sobre o sistema de modulação deverá ficar mais próximo do sistema europeu ou japonês. "O que nós queremos é, aproveitando os padrões existentes, atualizar esses padrões para a realidade brasileira", defendeu Hélio Costa. "Dificilmente o padrão americano se encaixa nisso, porque ele não contempla a portabilidade e mobilidade", ponderou referindo-se a um dos três principais sistemas. "Mas eu vejo que nós estamos nos encaminhando para ter um sistema brasileiro, com ferramentas brasileiras, adequadas a padrões internacionais."Copa do Mundo - O ministro lembrou que serão necessários pelo menos oito meses para que as emissoras de televisão possam se adaptar ao sistema pretendido. Por esse motivo, a primeira experiência com sinais digitais, anunciada para acontecer durante a realização da próxima Copa do Mundo, não terá caráter comercial. "Aliás, eu nunca prometi ter a TV digital comercial a partir do ano que vem, eu disse que nós vamos fazer a primeira experiência", explicou. Hélio Costa ressaltou a necessidade de adaptação dos modelos existentes, pois, ao contrário dos países mais desenvolvidos, em que a recepção normalmente é feita por meio de cabo ou de satélite, no Brasil 80% dos televisores usam antenas para captar tevês abertas. "O Brasil tem uma realidade diferente da Europa, do Japão ou dos Estados Unidos", frisou. "Nós estamos fazendo uma TV digital aberta e gratuita."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.