Modelo está presente em diversos segmentos

De pizzarias a clínicas odontológicas, franquias são adotadas em quase todos os setores da [br]economia em Rio Preto

Chico Siqueira, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2010 | 00h00

As franquias de São José do Rio Preto fazem parte de praticamente todos os segmentos da economia: de prestação de serviços à venda de piscinas, vestuários, cosméticos, programas de computadores e até lixeiras.

O comerciante Nivaldo Covizze tinha uma pizzaria em Mirassol, cidade vizinha. Depois de abrir uma filial em São José do Rio Preto e se associar ao irmão, decidiu pelo sistema de franquias. Hoje a Pizzaria Bella Capri tem dez unidades espalhadas por cidades do interior de São Paulo e Goiânia.

"Queríamos uma rede e optamos pela franquia. Mas ela só funciona porque escolhemos bem o perfil do franqueado. Nossa preferência é que o investidor goste e toque pessoalmente o negócio, porque só assim ele consegue manter o controle da qualidade dos nossos produtos, que são de primeira. Nenhuma franquia cresce sem o olho do dono", acredita o comerciante.

Covizze percorre todas as unidades para explicar como manter o padrão de qualidade. "Aqui não é só colocar o produto na prateleira e vender, é preciso ter a mão na massa."

Clínicas temáticas. O plano inicial do cirurgião-dentista Alcides Gomes Junior era montar filiais de sua clínica de ortodontia. Não conseguiu, mas se tornou o primeiro dono de uma marca personalizada de clínicas de odontologia temáticas no País, a Uniorto. Na unidade de Rio Preto, a criança que precisa de um aparelho de ortodontia se sente numa nave do filme Guerra das Estrelas: depara, logo na entrada, com os bonecos da série. Na unidade do bairro da Pompeia, na zona oeste de São Paulo, a recepção é um jardim florido; na da Lapa, instrumentos musicais gigantes estão nas paredes; e na de Alphaville, em Barueri (Grande São Paulo), há campo de golfe, cestas e bolas de basquete e até cadeiras de arquibancada na recepção. "Nossa ideia era acabar com aquele clichê de consultório odontológico, com sofá velho e cheirinho característico", conta o cirurgião.

Gomes Júnior, que instalou a primeira franquia da rede em 2000, conta hoje com 11 lojas franqueadas abertas e planeja a abertura de mais 12 até o fim de 2011, sendo cinco delas na capital paulista e em cidades da Grande São Paulo.

Retorno. O retorno das clínicas temáticas foi tanto que ele, na esteira do avanço da economia, abriu outra marca em 2005, de clínicas destinadas ao público C e D. A OrtoCeo já conta com dez lojas, em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Gomes Júnior comanda ainda outra marca, a CEI (Centro Europeu de Implantodontia), uma clínica de alto padrão com unidades na capital paulista e em Brasília. A rede tem parceria de instituições europeias na qualificação dos profissionais para implantes dentários. "Nossa previsão é crescer de 20% a 30% em 2011, com a entrada em funcionamento de seis novas franquias temáticas."

O investimento na franquia de clínicas pode ser feita por qualquer pessoa. Do primeiro contato à instalação da loja franqueada, o prazo varia de 6 a 15 meses. O investimento é de R$ 70 mil - valor equivalente à taxa de franquia -, mais um montante de R$ 150 mil a R$ 200 mil para montagem da loja. Os royalties são de 10% sobre o faturamento bruto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.