Modelo para exploração do pré-sal pode sair em 45 dias

Antes de ter um formato de exploração, ANP não tem como fazer a rodada de licitação dos blocos

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

09 de julho de 2008 | 13h32

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e o Ministério de Minas e Energia (MME) participam de um grupo de trabalho que tem cerca de um mês e meio para entregar a proposta de um modelo para a regulação da exploração do petróleo da camada pré-sal, informou nesta quarta-feira, 9, o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim. De acordo com ele, antes de ter um modelo para a exploração da região, onde grande quantidade de petróleo foi descoberta, não há possibilidade de a Agência Nacional de Petróleo (ANP) fazer uma rodada de licitação de blocos de exploração com a participação de áreas do pré-sal.   Veja também: País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundo A exploração de petróleo no Brasil Preço do petróleo em alta   Não há decisão ainda se os contratos para exploração do pré-sal serão de concessão ou partilha, por exemplo. Tolmasquim admite a possibilidade teórica de realização de uma rodada sem essas áreas. "Tem que ver se existe interesse dos investidores para áreas sem o pré-sal", declarou, em entrevista à imprensa na sede da EPE. A oitava rodada da ANP inicialmente previa áreas do pré-sal, mas com o anúncio da descoberta do campo de Tupi, as áreas foram retiradas da rodada e ela foi suspensa.Tolmasquim disse que o governo "tem pressa sim" na realização das rodadas, "mas a pressa não pode ser inimiga da prudência". Segundo ele, há vários estudos e propostas diferentes por parte de vários atores como a ANP e a Petrobras. "É salutar ter vários estudos", afirmou.O pré-sal é uma camada de reservatórios que se encontram no subsolo do litoral do Espírito Santo a Santa Catarina, ao longo de 800 quilômetros, em lâmina d?água que varia entre 1,5 mil e 3 mil metros de profundidade e soterramento (área do subsolo marinho que terá de ser perfurada) entre 3 mil e 4 mil metros.A Petrobras é líder em pesquisa e produção de petróleo em águas profundas e ultraprofundas. Tupi é considerada uma megarreserva de petróleo, com um volume estimado entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris. O óleo está em uma área muito profunda, sob uma camada de sal, abaixo do leito marinho.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleopré-salEPE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.