Modermaq é brincadeira, ironiza o Sindipeças

O presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), Paulo Butori, afirmou hoje que o Modermaq, o programa do governo federal de financiamento para aquisição de máquinas e equipamentos, "é uma brincadeira, não alivia nada". O programa terá R$ 2,5 bilhões a serem liberados pelo BNDES, com juros de 14,95% ao ano e prestações de 60 meses. Para ele, o Modermaq não difere muito do Finame, que tem taxas de juros de 16% ao ano e oferece o mesmo número de prestações. Só muda a carência, que no Finame é de seis meses e, no Modermaq, de três meses. Segundo ele, as siderúrgicas dão sinais de que vão elevar o preço do aço novamente. "O Brasil deve produzir este ano 30 milhões de toneladas de aço e a China sozinha pode importar tudo isso", disse. Segundo ele, os preços das autopeças têm defasagem de 21% sobre os custos. Butori disse também que as empresas estão sofrendo com o aumento da carga de impostos e criticou a política econômica. "O governo aumenta os impostos, o que pressiona a inflação. Daí o próprio governo não pode baixar mais os juros porque senão a inflação explode. Não dá para entender."

Agencia Estado,

18 Março 2004 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.