Modernidade nos sites de companhias abertas

As páginas de relações com investidores das companhias abertas brasileiras na Internet começam a entrar em uma segunda geração tecnológica. Com a adoção cada vez maior de novas ferramentas, cresce a interatividade com o mercado. Segundo o vice-presidente da Thomson Financial Investor Relations, Arleu Anhalt, ainda são poucos os habilitados para essa fase. Já se enquadram nessa categoria, por exemplo, Petrobrás, Itaú, Vale do Rio Doce e Sadia. Essas empresas ultrapassaram o que ele chama de "primeira onda" da Internet, ou seja, o momento em que o site serve apenas como ferramenta de consulta, e não de comunicação. O executivo lembrou, por exemplo, que a Thomson realizou uma conferência pela Internet com a Petrobrás recentemente, da qual participaram cerca de 200 pessoas. "Os interessados podem ver a apresentação de slides, ouvir o diretor e fazer perguntas por e-mail." O gerente executivo de relações com investidores da Petrobrás, Luiz Fernando Nogueira, afirmou que a estatal contratou até uma consultoria internacional, a Neoris, para aprimorar a sua página. "Até outubro de 2000, nosso site estava desatualizado, com design e navegação ultrapassados." Segundo ele, a companhia passou a adotar o pressuposto de que a comunicação pela Internet deveria ser o principal instrumento de comunicação com o mercado. "Hoje, esse sistema é o que dá tratamento mais equânime, já que todos os investidores recebem as mesmas informações ao mesmo tempo." Após o trabalho de melhoria, a média de acessos mensais à página pulou de 3 mil para 27 mil. A companhia também ampliou o número de comunicados divulgados pela web, de 25 para 85 por ano. Prêmios e transparênciaO aprimoramento também se refletiu na opinião de quem usa o produto. Nesta semana, o site da Petrobrás recebeu um prêmio da consultoria MZ Consult. Foi eleito o melhor na categoria de relações com investidores pelo próprio mercado. O Itaú ganhou como melhor página na Internet, mas numa avaliação feita pela própria MZ. No ano passado, o banco também levou o primeiro lugar. O segundo foi o Unibanco. O analista supervisor de relações com investidores do Itaú, Alexandro Marroni Phee, disse que a página está em constante mutação. "Na terça-feira passada, por exemplo, mudamos a configuração do site, que ficou um pouco menos colorido e mais leve, facilitando o acesso." Ele também ressaltou a importância da Internet no relacionamento com o mercado. "É uma das nossas principais ferramentas, por ser mais transparente, democrática e rápida."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.