Moedas emergentes mostram recuperação com melhora dos EUA

Segundo analistas, no entanto, movimento deve ter vida curta, já que o risco de más notícias vindas da zona do euro ainda permanece

Andréia Lago, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2011 | 16h05

NOVA YORK - As moedas de mercados emergentes tiveram forte recuperação nesta quinta-feira, 15, reagindo ao leilão de bônus bem-sucedido feito pela Espanha e pelos indicadores econômicos dos Estados Unidos melhores do que o esperado.

O reflexo foi uma onda de máximas intraday nas moedas de mercados emergentes, acompanhando o movimento de reação do euro em relação ao dólar. O rand sul-africano subiu 0,9% frente à moeda americana. No México, o dólar perdia 0,45% em relação ao peso. No Brasil, a queda do dólar frente ao real era de 0,7%, negociado a R$ 1,8610 às 13h47 (de Brasília). Na Europa, a moeda da Hungria também se fortaleceu, a despeito das preocupações de investidores com a proposta do governo local de fundir as operações do banco central com as do regulador financeiro do país, colocando a independência do BC em dúvida.

Analistas alertam, entretanto, que a recuperação das moedas de maior risco provavelmente terá vida curta porque o risco de más notícias vindas da zona do euro permanece. "À primeira vista, parece que o sentimento de risco está um pouco melhor, e por isso temos as moedas do mundo emergente mostrando uma recuperação bem importante em relação a ontem", disse Benoit Anne, diretor global de estratégia de mercados emergentes do Société Générale. Fundamentalmente, entretanto, nada mudou, alertou. "Ainda há uma bomba-relógio acionada de um possível rebaixamento pela S&P para países da zona do euro", avisou o estrategista.

Na semana passada, antes da cúpula da União Europeia, a S&P colocou o rating da França e da maioria dos países do euro sob revisão para um downgrade a depender dos resultados da reunião dos líderes europeus. Desde então, a agência não se pronunciou sobre as decisões da cúpula. A nota AAA da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF) também está sob revisão.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
moedasemergentesrecuperaçãoeua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.