Molina, um negociador direto

Acostumado à formalidade de grandes companhias, sem um controlador definido, José Antonio do Prado Fay, presidente da BRF, viveu uma experiência nova ao negociar com o empresário Marcos Molina.

O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2011 | 03h05

Apesar de ter contratado o Itaú BBA para assessorar a operação, o dono da Margfrig ligava direto para o executivo da BRF para discutir o negócio. "O Molina é um negociador duro. E eu também sou. As negociações levaram um mês e meio", conta Fay. "Mas estabeleci um prazo para o fechamento da operação. Ela tinha de ser concluída neste ano."

A Marfrig mostrou-se desde o início a candidata mais propensa a levar os ativos que a BRF teve de colocar à venda para ter a fusão entre Sadia e Perdigão aprovada pelo Cade. Em troca, a BRF fica com a marca Paty, que a Marfrig tem na Argentina.

O BTG Pactual, que recebeu o mandato de venda, mandou o material de apresentação das fábricas para 18 empresas, segundo o presidente da BRF. Mais da metade passou para a fase seguinte de negociação, que exige acordo de confidencialidade. Boa parte desse grupo era de companhias estrangeiras, incluindo fundos de participação em empresas (private equity).

A JBS, maior frigorífico do mundo, até pegou para o material básico para ver, mas nunca passou dessa fase, segundo Fay. A justificativa é que frangos e suínos não têm a ver com o seu negócio.

Tecnologia

Pesquisa de preço via SMS

A Samsung em parceria com o Buscapé está lançando um serviço para comparar preços via mensagem de texto, em qualquer celular, sem conexão com internet. Usuários de celulares Tim e Claro, segundo as empresas, poderão fazer uma consulta rápida e detalhada do produto desejado, na rua ou até mesmo dentro de uma loja. Para utilizar o sistema, desenvolvido pela Pure Bros. é preciso enviar um SMS com o nome do produto para o número 72671. Paga-se R$ 0,31 mais impostos. A resposta vem em seguida, com o preço mais baixo encontrado, nome da loja e valor médio praticado.

Máquina de Vendas

CR Zongshen prevê venda maior de motos Flash

A fabricante de motos CR Zongshen elevou a expectativa anual de vendas da moto Flash, marca vendida exclusivamente nas lojas da rede Máquina de Vendas. A estimativa do presidente da empresa, Claudio Rosa, é vender 20 mil unidades em 2012 - mais do que os 15 mil previstas inicialmente. As vendas começaram em novembro, nas lojas City Lar da região Norte e Centro-Oeste. "Em função da boa repercussão da marca, o cronograma de lançamento nas lojas do Nordeste será acelerado", diz Rosa. Até o momento, cem das 800 lojas da rede têm o produto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.