Momento adequado para continuar reformas, defende FMI

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo Rato, afirmou que a política monetária do Brasil é "adequada" e que o País não vive um período de repique inflacionário, mas o Banco Central precisa manter-se vigilante em relação aos preços. Rato disse acreditar que o processo de crescimento econômico brasileiro é sustentado.Ele disse que o Brasil atravessa um momento "muito adequado" para continuar o processo de reformas estruturais, que permitirão que a economia do País cresça de maneira sustentada. Ele parabenizou o governo Lula por ter conseguido estabelecer um marco de estabilidade econômica que é reconhecido hoje não só pelo FMI mas também pelos mercados internacionais.O diretor-gerente do FMI destacou a dinâmica da dívida brasileira, a diversificação da pauta de exportações brasileira e o crescimento do mercado interno. "Essas são bases muito profundas, que garantirão o crescimento da economia nos próximos anos e serão capazes de fazer o País enfrentar choques externos", disse Rato.Renovação do acordoRato evitou falar sobre a possibilidade de renovação do acordo do Fundo com o Brasil. "A oitava revisão do programa será fechada até o final do mês, e acredito que este acordo foi muito útil para o Brasil respaldar sua credibilidade financeira e dar espaço para que o governo realizasse suas políticas. O acordo terminará em março e, a partir daí, caberá ao governo brasileiro pleitear sua relação futura com Fundo. De qualquer forma, acredito que a relação continuará sendo fluída e construtiva."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.