Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Momento é de desaceleração e menos empregos, diz Mantega

Ministro comentou dados do Caged, que registoru abertura de 61,4 mil novos postos de trabalho em outubro

Fabio Graner,

20 de novembro de 2008 | 17h15

 O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou  que é natural que haja uma menor geração de empregos em uma fase de desaceleração da atividade econômica no Brasil. Ele fez essa observação ao comentar os dados do  Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira, 20, que mostraram uma menor geração de postos de trabalho em outubro, Mantega destacou que, mesmo assim, o País vai bater recorde na criação de vagas, superando a marca de 2 milhões.  "O importante é continuar criando empregos. Ao contrário do que acontece nos países desenvolvidos, nós vamos continuar elevando o volume de empregos, mesmo com uma desaceleração no ritmo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.