Mônaco adia mais uma vez decisão sobre Cacciola

O Tribunal de Justiça de Mônaco adiou mais uma vez hoje o julgamento de um pedido de extradição do banqueiro Salvatore Cacciola feito pelo governo brasileiro. A próxima audiência foi marcada para o dia 31 de janeiro de 2008 e, a princípio, apresentará "impreterivelmente" uma decisão.O adiamento foi causado dessa vez pelo fato de o tribunal de apelações ter considerado "excessivamente precária" a tradução dos documentos apresentados pelo Ministério da Justiça brasileiro em outubro passado. Uma nova tradução, dessa vez feita por especialistas franceses, será apresentada ao tribunal.A procuradora-geral de Mônaco, Anne Brunet-Fuster, demonstrou descontentamento com o adiamento. "Mas aceito a decisão, pois é fundamental que todo o julgamento seja feito com a maior segurança possível", disse.A audiência de hoje foi marcada por prolongadas discussões entre os três juízes do tribunal. Foi a mais longa de todas, com uma duração de 2 horas e dez minutos. O parecer da Justiça ainda precisará ser analisado pelo príncipe Albert II, a quem cabe a decisão final.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.