Monsanto tem prejuízo líquido de US$ 165,0 milhões

A Monsanto Co. , fabricante norte-americana de herbicidas e produtos agrícolas, anunciou um prejuízo líquido de US$ 165,0 milhões (US$ 0,63 por ação) no terceiro trimestre até 30 de setembro de 2002, ante um prejuízo de US$ 45,0 milhões (US$ 0,17 por ação) em igual período do ano passado. As vendas no trimestre caíram para US$ 679 milhões, de US$ 936,0 milhões em 2001. O resultado do período inclui encargo de reestruturação e outros itens totalizando US$ 18 milhões (US$ 0,07 por ação). Excluindo os itens, o prejuízo foi de US$ 0,56 por ação, em relação à estimativa da Thomson First Call de um prejuízo de US$ 0,57 por ação no trimestre. Os números do período foram pressionados pela menor receita do herbicida Roundup e vendas reduzidas na América Latina, devido às condições econômicas, o que levou a empresa a modificar o seu modelo de negócios no Brasil e Argentina. A Monsanto está implementando um plano de reduzir o seu risco de fazer negócios na América Latina, uma medida que diminuiu as vendas e lucros da companhia, embora tenha melhorado a geração de caixa. A companhia reiterou a sua previsão de lucro menor em 2002 de US$ 1,15 a US$ 1,23 por ação. A estimativa do ano inclui um ganho de US$ 0,08 por ação relacionado com venda de ativo à Nissan Chemical e exclui encargos de US$ 0,38 por ação referente a reserva de empréstimos "podres" na Argentina estabelecida no segundo trimestre, US$ 0,32 por ação em encargos de reestruturação e US$ 6,93 por ação relativo a efeito cumulativo de mudança contábil. A Monsanto acrescentou que está a caminho de aumentar o fluxo livre de caixa para entre US$ 400 milhões e US$ 460 milhões até o final do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.