carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Montadora repassa queda de IPI para preços e feirão lota

GM espera que entre 15 mil e 17 mil pessoas visitem evento no fim de semana

PAULA PACHECO, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2008 | 00h00

A decisão do governo de reduzir o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) surtiu efeito dois dias depois do anúncio. As montadoras e concessionárias que apostaram em feirões para desovar os estoques abarrotados tiveram um retorno rápido. Ontem, no feirão da General Motors, na sede da empresa, em São Caetano do Sul, logo pela manhã já havia muita gente à procura da melhor oferta. Um batalhão de 350 vendedores recebia os visitantes.A GM colocou no feirão 70 carros novos expostos e outros 5 mil em estoque. O financiamento máximo era de 60 meses, com entrada mínima de 20% do valor do veículo. Fernando Rodrigo Macedo e a irmã Fabiana Macedo foram ao pátio da GM após pesquisar em muitas concessionárias e outros feirões. Depois que soube da redução do IPI, na noite de quinta-feira, Macedo achou que era o momento de fechar um bom negócio. Comprou com a vendedora Viviane Souza de Lima o primeiro carro zero, um Corsa hatch. Pagou R$ 10,5 mil de entrada e fechou um financiamento de R$ 570 por mês, em 60 meses, com taxa de juros de 1,72%.Atualmente, o carro de Macedo é um Fiat Premium 1986. O sonho era comprar um modelo zero. Com a queda do preço, não só o especialista em manutenção industrial fechou negócio por um preço abaixo do que pretendia gastar como pôde incluir alguns opcionais, como direção hidráulica, ar-condicionado e vidros elétricos.Macedo tem certeza de que fez uma boa compra. Ele teme que em janeiro, caso as montadoras se recuperem do mau momento, comecem a elevar as taxas de financiamento. "O governo poderia baixar mais os impostos, que ainda são muito altos. Se o preço dos carros baixar mais, tenho certeza que não vai faltar comprador."Rodrigo Rumi, gerente regional de marketing e vendas da GM, esperava receber no pátio da montadora durante o fim de semana entre 15 mil e 17 mil pessoas. Nos feirões anteriores, feitos em novembro e no começo de dezembro, o público chegou a 12 mil visitantes. "O IPI reduzido vai ajudar bastante. Já sentimos um começo de retomada nas vendas nas últimas semanas, mas agora deve melhorar", diz o executivo.Uma da formas de melhorar o movimento nas concessionárias, segundo ele, foi com o pagamento de até 7% a mais que o valor de mercado na compra de carros usados. "Conseqüentemente, isso reflete na venda de novos", explica.Durante promoções como a do feirão, segundo Rumi, as vendas chegam a ser até 35% maiores do que num fim de semana normal. No caso da GM, as condições de compra são flexíveis. O cliente pode levar o carro para casa com juro zero, 50% de entrada e o saldo em 12 vezes ou dar 20% de sinal, parcelar o restante em 60 meses e pagar juro de 1,48% ao mês nos modelos Celta e Prisma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.