Montadoras aguardam posição sobre IPI para alterar preços

O preço de tabela dos automóveis deve ficar pelo menos 3% mais caro a partir desta segunda-feira, com o fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para modelos populares e médios iniciada em agosto passado. As principais montadoras do País ainda aguardam uma posição final do governo federal sobre o caso, antes de divulgar novas tabelas. Isso porque, em novembro passado, o Ministério da Fazenda anunciou a prorrogação do acordo do IPI numa sexta-feira à noite, quando o mercado já não acreditava que isso pudesse acontecer. Se o acordo não for mesmo prorrogado, a expectativa é que as empresas, em sua maioria, repassem imediatamente os 3 pontos porcentuais da alíquota que havia sido reduzida desde agosto. Após 29 de fevereiro, o IPI volta ao patamar de 9%.ReajustesEm janeiro e fevereiro, as montadoras Ford, GM, Volkswagen, Peugeot e Fiat elevaram os preços em 7%, em média, para repassar o aumento salarial de 18% dos metalúrgicos e o alto preço do aço. A Renault, que elevou os preços em 5% em janeiro, em média, para o lançamento dos modelos 2004, informou que não tem expectativa de aumentar novamente o preço em março. As revendedoras das marcas, porém, devem manter promoções. Isso pode invalidar, na prática, a elevação do IPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.