carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Montadoras ainda aguardam decisão sobre ajuda

De acordo com o Wall Street Journal, governo tenta determinar quanto dinheiro precisará para ajudar empresas

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2008 | 15h35

O Departamento do Tesouro dos EUA não tomou nenhuma decisão sobre como estabelecerá um plano de socorro para as montadoras americanas. A informação é da porta-voz do Tesouro Brookly McLaughlin.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise     McLaughlin disse que o Tesouro, que está trabalhando junto com a Casa Branca sobre a questão, continua a revisar a informação fornecida pelas montadoras. "Continuamos a avaliar e revisar a informação que recebemos das montadoras e estamos proporcionando resumos à Casa Branca sobre nosso pensamento", disse a porta-voz. "Nenhuma decisão foi tomada."   Ela declinou em lançar uma luz sobre as opções que o departamento está ponderando. "Temos várias equipes trabalhando sobre isso."   De acordo com o Wall Street Journal, a administração do presidente George W. Bush está tentando determinar quanto dinheiro precisará para ajudar as montadoras e está discutindo um socorro de US$ 10 bilhões a US$ 40 bilhões ou mais.   Contudo, do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês) - concebido para socorrer o sistema financeiro - restam apenas US$ 15 bilhões da primeira parte dos fundos. O Congresso tem de aprovar a liberação dos demais US$ 350 bilhões a partir de um pedido do executivo.   Na semana passada, o Senado falhou levar à votação um projeto de lei que concedia um empréstimo ponte de US$ 14 bilhões para a General Motors Corp e a Chrysler LLC. A partir de então, a Casa Branca deixou claro que estava considerando usar o Tarp para evitar um colapso do setor. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.