Montadoras e metalúrgicos avançam nas negociações

Na quarta rodada de negociações com os metalúrgicos, realizada hoje, os representantes do Sinfavea (sindicato que representa as montadoras) apresentaram uma nova proposta de reajuste salarial para os 46.150 trabalhadores das fábricas de São Bernardo do Campo, Taubaté; São Caetano, Tatuí e São Carlos: 7% de aumento mais um abono limitado a tetos salariais.Em comunicado, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopez Feijó, afirma que "houve um avanço" em relação às propostas apresentadas até agora. Porém, ainda está longe da pauta de reivindicações apresentada pela categoria.A proposta apresentada pelo Sinfavea nesta sexta-feira foi de 7% de reajuste salarial, limitado ao teto de R$ 5.300, para os trabalhadores de São Bernardo do Campo, São Caetano, Tatuí e Taubaté; e R$ 2.650, em São Carlos. Além disso, a proposta prevê abonos de R$ 450 e R$ 225 (para São Carlos) a serem pagos em uma única parcela em janeiro de 2005. Acima destes tetos, os trabalhadores receberiam reajustes fixos de R$ 371 e R$ 185,50 (para São Carlos).Quanto a proposta dos trabalhadores para acabar com o excesso de horas extras, o Sinfavea concordou em trazer uma contraproposta na próxima reunião, que já está marcada para o dia 31, às 15h. Os sindicalistas reivindicaram a criação de um limitador de horas extras, cujo percentual pode ser negociado.A campanha salarial deste ano é unificada e reúne sindicalistas de três centrais sindicais, que representam 46.150 metalúrgicos de São Bernardo e Taubaté (CUT), São Caetano e Tatuí (Força Sindical) e São Carlos (CBTE Central Brasileira de Trabalhadores e Empreendedores).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.