Montadoras estão preocupadas com gargalos nos portos

O setor automotivo está preocupado com os gargalos logísticos que poderão prejudicar as exportações futuras da indústria. O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Ricardo Carvalho, afirmou que os portos nacionais estão trabalhando no limite da capacidade para escoar veículos e peças.Ele afirmou que tem conversado com representantes do governo paulista sobre a possibilidade de criar terminais exclusivos para exportar veículos a partir do Porto de São Sebastião (SP), no litoral norte. Na semana passada, Carvalho tratou do assunto com João Carlos de Souza Meirelles, secretário estadual de Ciência e Tecnologia, que está coordenando o projeto de ampliação do Porto de São Sebastião. Segundo o dirigente da Anfavea, será vital melhorar os acessos rodoviários a São Sebastião.As montadoras já conseguiram a ampliação da área para movimentar veículos no Porto de Santos. A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) arrendou para a Santos Brasil uma área que será preparada para a Volkswagen exportar para a Europa o modelo Fox, automóvel que deve entrar na linha de montagem da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) em 2005 exclusivamente para vendas externas. Na avaliação de Carvalho, o Porto de Santos precisará ter maior capacidade ainda, caso as exportações da indústria automotiva continuem em evolução nos próximos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.