Montadoras francesas fecham fábricas e cortam produção

Renault vai interromper produção em duas fábricas na França; Peugeot fala em cortes expressivos

24 de outubro de 2008 | 08h38

As duas principais montadoras francesas, a Renault e a Citroen-Peugeot, anunciaram nesta sexta-feira, 24, medidas para conter as quedas nas vendas de automóveis. A Renault planeja interromper a produção em duas de suas fábricas na França por 15 dias, a partir da próxima semana. A Peugeot anunciou um corte expressivo na produção depois de seus ganhos trimestrais encolherem 5,2%. Veja também:  Com Reino Unido à beira da recessão, bolsas européias desabam Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise A Renault pretende evitar o acúmulo de estoques gerado pela dramática redução das vendas de carros na Europa nas últimas semanas - e que deverá continuar em 2009. Às 8h04 (de Brasília), as ações da empresa caíam 15,97%, para 21,33 euros, na Bolsa de Paris.O fechamento temporário de outras unidades na próxima semana na França, assim como em outros lugares na Europa, também são "possíveis", de acordo com uma porta-voz da companhia. As duas fábricas que serão fechadas ficam em Flins, a oeste de Paris, e em Douai, no norte do país. Ontem a Renault emitiu um alerta de lucro para 2008 em razão do enfraquecimento expressivo dos mercados europeus no segundo semestre deste ano. A montadora prevê que as vendas de automóveis na Europa registrem queda de 8% em 2008, ante 2007, e revisou para entre 2,5% e 3% a estimativa para sua margem operacional neste ano. A estimativa anterior era de 4,5%.Também ontem, o diretor-operacional da empresa, Patrick Pelata, havia afirmado que a empresa iria cortar a produção em quase 20% no segundo semestre deste ano. O presidente da Peugeot, Christian Streiff, disse hoje que a empresa está reagindo ao colapso do mercado automobilístico europeu. "Estamos agindo rapidamente, com medidas de exceção, para reduzir a produção", disse.Com a crise, consumidores do continente têm encontrado dificuldade para pagar as prestações dos carros devido à crise de crédito. As ações de Peugeot na Bolsa de Paris caíram 12,4%. A empresa é a segunda maior vendedora de carros da Europa.Volvo O lucro da sueca Volvo, maior produtora de caminhões do continente, caiu 37% no terceiro trimestre, devido a uma queda na demanda na Europa, Japão e Estados Unidos. A empresa ainda anunciou que o mercado de caminhões na UE deve crescer no máximo 5% em 2009.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.