coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Montadoras mais novas ganham espaço

A concentração de vendas em poucos modelos no Brasil ainda é significativa, mas vem diminuindo nos últimos anos, assim como a fatia de mercado das quatro grandes montadoras. Há dez anos, os seis modelos mais vendidos no País correspondiam a 60% dos negócios de automóveis novos (veja quadro acima). Em 2008, a fatia era de 41,3% e hoje está em 38%.

O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2013 | 02h03

O poderio das fabricantes mais tradicionais - Fiat, Volkswagen, General Motors e Ford -, também perde fôlego. Em 2003, elas eram responsáveis por 82,4% das vendas de automóveis e comerciais leves. No primeiro quadrimestre de 2013, a fatia caiu para 69,4%. "Essas empresas estão perdendo participação no bolo, mas aumentaram significativamente os volumes de venda, acompanhando o crescimento do mercado", diz o diretor da consultoria ADK, Paulo Roberto Garbossa.

Em 2003, por exemplo, a Fiat vendeu 172 mil veículos. Em 2012, foram 680 mil. A Volkswagen, que há dez anos vendeu 153,3 mil unidades, em 2012 vendeu 651,2 mil, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Segundo Garbossa, com a expansão do mercado, há espaço para diversas marcas e maior distribuição das vendas. / C.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.