Montadoras querem produzir 8,9% mais em 2008

Produção de veículos deve atingir 2,97 milhões este ano; para o próximo, expectativa é de 3,24 milhões

Cleide Silva, O Estadao de S.Paulo

07 de dezembro de 2007 | 00h00

A indústria automobilística brasileira espera produzir 3,240 milhões de veículos em 2008, um aumento de 8,9% em relação a este ano, que atingirá a marca recorde de 2,975 milhões de unidades, com elevação de quase 14% ante 2006. O volume ficará próximo da capacidade produtiva atual das montadoras, de 3,5 milhões de veículos, e exigirá a ampliação de linhas de montagem e até novas fábricas.Nas últimas semanas, empresas como Volkswagen, Renault e Fiat anunciaram investimentos na ampliação da produção e desenvolvimento de novos carros. Nova leva de anúncios vai ocorrer nos próximos meses. Segundo fontes do mercado, Toyota, Honda, PSA Peugeot Citroën, Mercedes-Benz e Scania devem ser as próximas a formalizar projetos de aumento de capacidade no País.O mercado interno é o maior responsável pelo aumento da produção, que levou a indústria a abrir 13,3 mil postos de trabalho desde janeiro, elevando para 119,6 mil o total de empregos diretos nas montadoras. Com oferta farta de crédito, juros mais baixos e prazos mais longos, os consumidores compraram, até novembro, 2,1 milhões de automóveis e comerciais leves, além de 110,6 mil caminhões e ônibus, num total de 2,22 milhões de veículos.Este mês, segundo projeções da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), devem ser vendidas 230 mil unidades, o que somará no ano 2,45 milhões de veículos, o melhor resultado do setor, com aumento de 27% ante 2006. Para o próximo ano, a entidade projeta vendas de 2,88 milhões de veículos, 17,5% a mais que em 2007.Segundo o presidente da Anfavea, Jackson Schneider, o resultado do ano e a projeção para 2008 "apontam para um momento positivo do setor que influi na decisão de investimentos e ampliação de capacidade". Novas decisões "sairão das mesas" dos executivos.Nos próximos dias, a Fiat vai detalhar ao governo de Minas Gerais onde serão aplicados os R$ 5 bilhões prometidos pelo grupo para serem aplicados no período de 2008 a 2010. A ampliação da fábrica de Betim é dada como certa, mas uma nova unidade não está descartada.A Toyota também estuda nova fábrica no Brasil, enquanto PSA, Honda, Mercedes e Scania devem ampliar parques industriais com reformas, maquinário e novos turnos. A Volkswagen estuda parceria com uma empresa que tenha capacidade produtiva disponível.Para o economista Raul Veloso, embora o ritmo de crescimento em 2008 vá diminuir, o setor seguirá se beneficiando da boa fase da economia nacional e internacional. "O crescimento do setor está fortemente ligado ao crédito, mas a tendência é de estabilidade de juros e prazos daqui em diante." As exportações de veículos vão cair 7,5% este ano (para 780 mil unidades), mas em valores o resultado será 7,4% melhor, de US$ 13 bilhões. Em 2008, a projeção aponta para queda de 5,1% no volume exportado, e manutenção em valores por causa do aumento de preços nos carros vendidos no exterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.