Montadoras reduzem produção, mas não demitem

Todas as montadoras tomaram providências para reduzir a produção, como férias coletivas ou banco de horas, mas nenhuma fez demissões, segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Outra medida tomada pela totalidade das empresas foram as constantes promoções de vendas. A capacidade instalada da indústria automobilística é para 3,2 milhões de unidades, mas o recorde de produção ainda é o de dois milhões, atingido em 1997. Este ano, a previsão da Anfavea é que sejam produzidos 1,8 milhão de unidades, o mesmo que nos anos de 2001 e 2002. O primeiro semestre se encerrou deixando um estoque de 160 mil unidades. As vendas internas caíram 8,2% em relação ao mesmo período de 2002, para 647,6 mil unidades, sendo 609,2 mil delas produzidas no Brasil, o que significa queda de 5,5% nas vendas dos produtos nacionais. Como reflexo da alta do dólar, a queda de vendas no mercado doméstico foi maior entre os importados, que tiveram 38,4 mil unidades vendidas - 37% abaixo do total entre janeiro e junho do ano passado. No sentido inverso, veio a boa notícia no setor: expansão de 42% nas exportações, que atingiram 253,4 mil unidades. Graças às vendas ao exterior, a produção no período foi de 898,4 mil, 2,7% acima do primeiro semestre de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.