Monti espera sucesso, apesar de tarefa quase impossível

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, disse hoje que espera que seu novo governo seja um sucesso, apesar dos desafios extremamente difíceis que o país enfrenta, com os investidores temendo um contágio da crise da dívida na zona do euro.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

18 de novembro de 2011 | 12h13

"Eu tenho uma tarefa quase impossível, mas nós vamos cumpri-la", disse Monti a legisladores da Câmara dos Deputados, antes da Casa deliberar sobre um voto de confiança para o governo, que já foi aprovado ontem no Senado.

O premiê italiano também disse que vai se encontrar com o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, na semana que vem. Além disso, ele deve ir a Bruxelas, para visitar os líderes das instituições da União Europeia (UE).

Monti quer que a Itália participe das reuniões entre França e Alemanha, para que possa sempre contribuir com as discussões para a solução da crise. Segundo ele, isso é parte da tarefa do seu governo, de "dar um maior poder de voz para a Itália nas instituições da UE". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseItáliaMonti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.