Moody´s anima mercados

Hoje foi divulgada a notícia de que a agência de avaliação Moody´s estuda aumentar o rating - classificação - de títulos brasileiros, tanto do governo federal, como de outras esferas de governo. Com isso, os mercados ganharam um novo impulso. Contribuiu para o entusiasmo, o alívio em relação à situação da Argentina. Ontem, o país desistia de emitir bônus de dívida externa na Europa e no Japão por falta de interesse dos investidores. Mas hoje, o governo argentino conseguiu emitir metade do que previa em Eurobônus, cerca de 500 milhões de euros, acalmando os ânimos. A Bovespa fechou em alta de 2,15%.Apesar dos índices de inflação divulgados essa semana, superando as previsões dos analistas, o governo continua sustentando sua meta e suas previsões para a inflação no ano. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagavam juros de 16,930% ao ano, frente a 17,170% ao ano ontem. E o dólar fechou em R$ 1,8110, com queda de 0,11%, dada a expectativa dos operadores de que a melhora do rating brasileiro atraia mais divisas nos próximos meses.Alta das bolsas em Nova Iorque apóia euforia, mas petróleo continua em altaÀs boas notícias do exterior, juntou-se o desempenho animador das bolsas norte-americanas. O Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na Bolsa de Nova Iorque - fechou em alta de 0,43%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova Iorque - fechou em alta de 2,06%.O petróleo, porém, continua em alta, fechando hoje em Londres a US$ 32,53, uma alta de 21,47% em relação às cotações de 31 de julho. E o presidente da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), Ali Rodriguez, declarou que um aumento da produção dos países-membros não consta das discussões da próxima reunião, dia 10 de setembro em Viena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.