Moody´s: avaliação passa de positiva para estável

A agência de classificação de risco Moody´s elevou a classificação máxima para os papéis (bônus e notes) brasileiros em moeda estrangeira de B2 para B1 e a classificação máxima do País para os depósitos bancários de B3 para B2. Os bônus com rating B2 da República do Brasil e do Banco Central do Brasil também foram elevados de B2 para B1. Com a elevação do rating, a Moody´s também refez a sua classificação para o outlook do País, ou seja, alterou a sua avaliação sobre o risco soberano do País de positivo para estável. De acordo com Hugo Penteado, economista-chefe do ABN Amro Asset Management, isso não é negativo, pois os papéis da dívida do País já estão com uma classificação melhor.Marcelo Carvalho, economista-chefe do JP Morgan acredita que a decisão da Moody´s em passar o outlook do País de positivo para estável reflete a intenção da agência em apenas equiparar a sua avaliação à da agência de risco Standard & Poor´s (S&P). Porém, no caso da S&P, a avaliação de risco soberano do País está com classificação positiva, o que indica a intenção da agência em subir o grade da dívida brasileira. O mercado espera por essa decisão e, caso isso aconteça, novamente o rating da S&P será superior ao da Moody´s.Com a decisão, o outlook do Brasil passa a ser o mesmo apresentado por países como Argentina, Chile e México. Na avaliação da S&P, onde o País tem outlook positivo, o México tem a mesma classificação. Chile e Argentina têm outlook estável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.