Moody's estava defasada em sua análise, diz Bernardo

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, avaliou, em entrevista à Agência Estado, que a agência de classificação de risco Moody''s está acertando o passo ao conceder hoje a elevação da nota de crédito ao Brasil. Segundo ele, a agência estava "defasada" em sua análise sobre o País. Para Bernardo, as boas condições da economia brasileira já estavam consolidadas internacionalmente.

ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

22 de setembro de 2009 | 18h10

Ao comentar o fato de que a agência está concedendo o chamado grau de investimento em meio a críticas sobre a política fiscal do governo, o ministro disse que há radicalismo nessas avaliações do mercado. "Tem que ser muito intransigente para achar que a política fiscal teria que ser a mesma com as condições econômicas que temos hoje", falou ao defender a redução da meta de superávit primário. O ministro ainda ponderou que todos os fundamentos econômicos do Brasil são positivos.

Petrobras

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, disse que a decisão da Moody''s, de elevar o rating do Brasil para patamar de grau de investimento "é bom para todos". Gabrielli lembrou que a Petrobras já possui grau de investimento concedido pela Moody''s. Ele respondeu com um sorriso à pergunta se a elevação do rating brasileiro favoreceria as captações da companhia no mercado externo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.