Moody’s piora avaliação da OGX, com perpectiva negativa

Agência justificou reajuste com as baixas expectativas de a empresa de fato contar com US$ 1 bilhão prometido por Eike Batista

Álvaro Campos, da Agência Estado,

15 de julho de 2013 | 18h27

NOVA YORK - A agência de classificação de risco Moody's rebaixou nesta segunda-feira, 15, o rating da OGX Petróleo e Gás Participações. A nota de avaliação, que era de Ca, caiu para Ca, com perspectiva negativa.

Segundo a agência, o rebaixamento se deve às baixas expectativas de que a OGX vai poder depender da injeção de capital de US$ 1 bilhão prometida por Eike Batista, após a saída de membros independentes do conselho administrativo da companhia.

"O novo rating reflete a alta alavancagem financeira em relação à produção e o fluxo de caixa da companhia, além do perfil de liquidez fraco, com a cobertura de ativos depreciados para os títulos sem seguro. O rating também reflete práticas de governança corporativas mais fracas e a alta incerteza sobre as projeções para a companhia, com o risco de um default, reestruturação de dívida ou pedido de falência", diz a Moody's em comunicado.

A agência afirma ainda que o rating Ca da OGX será retirado se a companhia entrar em um processo de reestruturação. Embora uma elevação no rating seja improvável no curto prazo, isso pode acontecer se a companhia conseguir melhorar seu perfil de liquidez e mostrar projeções de uma melhora na produtividade do capital e crescimento na produção.

(As informações são da Dow Jones.)

Tudo o que sabemos sobre:
OGXEIKE BATISTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.