Moody's rebaixa 30 bancos da Espanha; Santander é poupado

Rebaixamento se deve à recessão no país, cujo PIB caiu 3% no 1º tri e cuja taxa de desemprego superou os 17%

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

16 de junho de 2009 | 11h32

A Moody's Investors Service cortou na última segunda-feira, 15, os ratings de solidez financeira de 30 bancos da Espanha por causa da queda na qualidade dos ativos em meio à recessão que assola diversas economias globais, especialmente a Espanha, onde o Produto Interno Bruto caiu 3% no primeiro trimestre, em termos anuais, e a taxa de desemprego supera 17%. Entre os bancos afetados estão o Banco Popular Español e o Banco de Valencia. O Santander não teve seu rating reduzido, mas permanece sob revisão para possível rebaixamento.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

A vice-presidente sênior da agência de classificação de risco, Maria Cabanyes, considerou muitos dos rebaixamentos "moderados", refletindo a "expectativa de que um suporte do governo seria disponibilizado para essas instituições caso tal apoio se tornasse necessário".

 

De fato, ontem mesmo a ministra das Finanças da Espanha, Elena Salgado, anunciou que o governo do país prepara um fundo de resgate para os bancos, que pode ser expandido em 90 bilhões de euros (US$ 124 bilhões). Enquanto isso, o fundo de ajuda de 9 bilhões de euros poderá ser usado para ampliar o capital de instituições em dificuldades, em troca de ações com direito a voto.

 

Entre os 30 bancos cujos ratings foram rebaixados, quatro possuem nota C ou acima, o nível na qual tais instituições provavelmente suportariam um cenário de estresse. Nove bancos têm ratings de solidez financeira de D- ou E+, o que significa que são altamente sensíveis a um cenário de maior estresse e provavelmente precisariam de ajuda de terceiros. O Santander tem rating de solidez financeira B.

No final do primeiro trimestre, a taxa de empréstimos sem performance dos bancos havia saltado para 4,27%, de 3,37% em dezembro de 2008 e 0,9% em dezembro de 2007.

 

A Moody's também rebaixou os ratings de depósito e dívida sênior não assegurada de 25 bancos espanhóis - 18 em um degrau e sete em dois degraus. O rating de depósito e dívida de longo prazo do Santander permanece em Aa1, mas segue em revisão para possível rebaixamento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Moody's

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.