Moody's rebaixa Espanha e deixa rating perto de grau especulativo

Nota de crédito da Espanha caiu de A3 para Baa3, apenas um grau acima do nível considerado ‘junk’

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

13 de junho de 2012 | 18h27

NOVA YORK - A agência de classificação de risco de crédito Moody's cortou em três graus hoje o rating da Espanha, deixando-o muito próximo do grau especulativo. A Moody's rebaixou a nota de crédito da Espanha de A3 para Baa3, apenas um grau acima do nível considerado "junk". Ao mesmo tempo, a agência informa que a dívida espanhola continua em revisão para possível rebaixamento.

Rating é como as agências de classificação de risco avaliam a capacidade de um determinado emissor de títulos de cumprir seus compromissos com os investidores. No caso da Moody's, a escala vai de Aaa, que é o mais alto grau de qualidade de crédito, a C, o mais baixo. Este grau decresce avançando no alfabeto (de A a C) e na escala numérica (de 1 a 3); ou seja, abaixo de Aaa está Aa1, em seguida Aa2, e assim por diante.

A Moody's cita como justificativas o plano do país de recorrer a até € 100 bilhões da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, nas iniciais em inglês), o limitado acesso de Madri aos mercados da dívida e a persistente fragilidade da economia. Segundo a Moody's, a revisão deverá ser concluída em 90 dias.

Mais cedo, a agência de classificação de risco de crédito Egan-Jones rebaixou o rating da Espanha pela quarta vez em pouco mais de um mês. O rating foi rebaixado de B para CCC+, quatro degraus abaixo do grau de investimento. As três maiores agências de classificação de crédito - Standard & Poor's, Moody's e Fitch - ainda mantêm a Espanha com grau de investimento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Moody'sEspanhaRating

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.