coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Moody's rebaixa rating da Argentina após queda nas reservas

De acordo com a agência de classificação de risco, ambiente político inconsistente também pesou na decisão

Danielle Chaves, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2014 | 02h07

A agência de classificação de risco Moody's rebaixou o rating dos bônus do governo da Argentina de B3 para Caa1 e mudou a perspectiva de "negativa" para "estável". Em um comunicado, a Moody's informou que a decisão foi tomada por causa da significativa queda nas reservas cambiais da Argentina, que caíram para US$ 27,5 bilhões, do pico de US$ 52,7 bilhões em 2011, ampliando o risco de o país não conseguir cumprir suas obrigações com serviço de dívida em moeda estrangeira. Além disso, a agência destacou um ambiente político inconsistente, que aumenta a probabilidade de as reservas oficiais continuarem sendo pressionadas neste ano e no próximo.

"Embora as reservas tenham se estabilizado no último mês, existem contínuos riscos de mais quedas, um risco de crédito essencial já que a Argentina não tem acesso ao mercado internacional e utiliza as reservas do banco central para cumprir suas obrigações de dívida em moeda estrangeira", afirmou a Moody's no comunicado.

A agência destacou que a queda nas reservas e a falta de acesso ao mercado refletem "decisões de política econômica insustentáveis" que geraram inflação muito alta, depreciação da moeda, fuga de capital e estagnação econômica. "A inflação, que ficou em média em 25% anualmente nos últimos anos, provavelmente vai disparar novamente em 2014, parcialmente por causa da desvalorização de 17% da moeda em janeiro, que foi resultado da necessidade de conter a saída de dólares."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.